Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

A saúde emocional custa caro às empresas

A saúde emocional custa caro às empresas

Transtornos emocionais, em especial a depressão e a ansiedade estão entre a principal causa de incapacidade e impactam diretamente na produtividade em empresas. A ansiedade acomete 260 milhões de pessoas no mundo e mais de 300 milhões sofrem com a depressão, que promete ser, até 2020, a doença mais incapacitante do mundo. O Brasil é o campeão de casos na América Latina, com 5,8% da população com a doença.

A perda em produtividade custa 1 trilhão de dólares à economia global, segundo estudo recente da Organização Mundial da Saúde – OMS. O preço é alto para as empresas, além das margens de lucro reduzidas, os problemas emocionais respondem pelo 3º maior causa de absenteísmo, de acordo com o Boletim sobre Benefícios por Incapacidade de 2017, divulgado em 2017, pelo governo federal.

Por outro lado, pessoas com problemas emocionais podem onerar mais os custos com plano de saúde numa apólice empresarial do que cânceres. O diagnóstico de depressão e estresse dificilmente ocorre de primeira, nesse ínterim, comorbidades associadas a doenças psicológicas podem tomar espaço, como hipertensão, diabetes, dores de cabeça, gastrites e outras.

Portanto, o bem-estar do funcionário já não é mais uma opção, é imprescindível falar sobre saúde emocional no ambiente corporativo. O funcionário deve ser enxergado como uma unidade, ele não deixa suas doenças emocionais em casa quando sai para trabalhar. A saúde mental deve ser tão valorizada quanto a saúde física em programas de bem-estar.

Além disso, serviços de medicina avançada podem tornar a orientação médica e psicológica personalizada e acessível a todos por telefone. A assistência a colaboradores e dependentes ganha escala, praticidade e assertividade.

O Grupo Case aposta na gestão do cuidado por meio de programas de qualidade de vida, saúde e bem-estar sob medida para seus clientes, usando uma abordagem da saúde integral. Tais iniciativas, além de contribuírem para as políticas de gestão de pessoas e benefícios, reduzem, em média, 20% os custos globais em saúde em apólices empresariais. A partir desse trabalho integrado, só no ano de 2017, a Case gerou uma economia acumulada em sua carteira na ordem de R$ 85 milhões de reais.

Fontes:

ONU BR – https://nacoesunidas.org/oms-empresas-devem-promover-saude-mental-de-funcionarios-no-ambiente-trabalho/
Einstein – https://www.einstein.br/noticias/noticia/saude-mental-ambiente-trabalho
Previdência – http://www.previdencia.gov.br/2017/04/saude-e-seguranca-estudo-apresenta-analise-sobre-beneficios-por-incapacidade/
EBC – http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-04/transtornos-mentais-sao-terceira-maior-causa-de-afastamento-do-trabalho