Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

Mulheres de peito conhecem sua mama!

Mulheres de peito conhecem sua mama!

É comum ouvir falar sobre o câncer de mama em mulheres com idade superior a 40 anos, mas você sabia que cada vez mais jovens desenvolvem esse tipo de doença? Existem diversos fatores que podem contribuir para esse processo, tais como casos de câncer de mama na família e exposição à radiação, mas é importante lembrar que a doença pode afetar qualquer pessoa, inclusive os homens; mesmo sendo raro, representa 1% do total dos episódios.

Algumas mulheres mais jovens, consideradas fora das faixas etárias de risco para o câncer de mama, mas que apresentam alguns sintomas característicos, ignoram os sinais da doença, pois acreditam não estarem efetivamente expostas a essa realidade, que normalmente ocorre entre 50 e 69 anos, de acordo com os padrões estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Porém, toda mulher precisa estar ciente dos riscos e entender que a doença pode atingir todas as idades.

Uma pesquisa recente, realizada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), apontou que 66,2% dos casos de câncer de mama são detectados pela primeira vez pelas próprias mulheres, ao notarem alguma alteração na mama. A presença de um caroço é o principal sinal percebido por elas. O Inca estima que só neste ano o número de novos casos da doença no Brasil deva chegar a quase 58 mil.

Quando a prevenção através de exames de detecção clínica e/ou através de imagem começa cedo, fica mais fácil perceber pequenas alterações e problemas no seu corpo, aumentando as chances de cura. Prevenção é uma questão de rotina e disciplina! Confira abaixo 10 dicas que podem te ajudar a detectar os primeiros sinais da doença:

É BOATO!

A mamografia é muito importante para o rastreio e detecção precoce do câncer de mama. O exame nada mais é do que o raio-x da mama, feito por um aparelho chamado mamógrafo, e deve ser realizada uma vez por ano, a partir dos 40 anos, ou em caso de histórico familiar, com orientação de um mastologista.

Recentemente, foi divulgado um vídeo na internet, vinculando o aumento do número de casos de câncer de tireoide em mulheres aos exames de mamografia, em função da radiação emitida pelo mamógrafo durante o procedimento. De acordo com dados do próprio Inca, trata-se de uma história falsa, uma vez que a taxa de crescimento desse tipo de câncer tem mantido o padrão de 1% ao ano, percentual considerado aceitável mundialmente. Vale ratificar que a dose de radiação para tireoide durante o exame é extremamente baixa! Por isso, mantenha sua rotina normalmente!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Mastologia – http://www.sbmastologia.com.br/index.php?option=com_flippingbook&view=book&id=12:saiba-tudo-sobre-o-cancer-de-mama&catid=3:cartilhas&Itemid=960
Instituto Nacional de Câncer (Inca) – http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/material-divulgacao.asp
Mulher com Saúde – http://mulhercomsaude.com.br/saude-da-mulher/cancer-mama-10-sinais-observar-autoexame/
Bem Estar – http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/10/e-um-desservico-mulheres-drauzio-varella-desmente-boato-que-liga-mamografia-cancer-de-tireoide.html, http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/06/pesquisa-traz-esperanca-para-tratar-cancer-de-mama-mais-agressivo.html
UOL – http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/estado/2015/10/19/diagnostico-tardio-de-cancer-de-mama-e-maior-nas-mulheres-mais-jovens.htm