Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

Outubro Rosa: um toque pela vida

Outubro Rosa: um toque pela vida

O poder de transformação de um toque é o maior lembrete às mulheres durante a campanha Outubro Rosa, que reforça a necessidade de atenção para as mamas. Internacionalmente dedicado à prevenção de câncer mamário, o mês objetiva compartilhar informações e promover conscientização a respeito da doença.

Perdendo somente para os tumores de pele não-melanoma, o câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil tem, aproximadamente, 58.000 novos casos por ano. Os homens também podem desenvolver a doença, mas as chances são 100 vezes maiores em mulheres.

Por isso, o rastreamento e o diagnóstico precoce são tão fundamentais. Quanto mais cedo identificada a doença, mais chances os tratamentos têm de alcançarem resultados satisfatórios: quase 100% dos casos são curáveis quando o tumor é detectado em fase inicial. Além disso, nos últimos anos, a taxa de mortalidade da doença caiu mais de 40%.

Como diagnosticar o câncer de mama
O autoexame é o principal aliado no diagnóstico do câncer de mama. Ele deve ser realizado pelo menos uma vez por mês para ajudar na identificação de alterações nas mamas de mulheres de todas as idades. Além disso, fazer acompanhamento com um profissional da saúde é muito importante para que as orientações e encaminhamentos necessários sejam feitos.

A mamografia é outro exame que pode contribuir no diagnóstico, pois é capaz de constatar alterações suspeitas. A idade indicada para sua realização é a partir dos 40 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Já o INCA recomenda que mulheres entre 50 e 69 anos realizem o exame de dois em dois anos, se não houver nenhuma alteração. Há ainda outros exames de imagem, mais específicos, que podem ajudar no rastreamento, como ressonância magnética, ultrassom e tomografia computadorizada.

No caso de eventuais suspeitas, será preciso realizar uma biópsia para que o diagnóstico seja fechado. O acompanhamento e orientação médica são fundamentais.

A conscientização a respeito do câncer se faz urgente e precisa ir além dos sintomas, maneiras de prevenção e tratamentos. Por isso, o Grupo Case reuniu quatro direitos reservados aos pacientes oncológicos.

Clique aqui e confira!

 

Fontes:

Ministério da Saúde – http://www.blog.saude.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=53551&catid=579&Itemid=50218
Revista Saúde – https://saude.abril.com.br/medicina/outubro-rosa-2018-mensagens-importantes-sobre-o-cancer-de-mama/
Portal R7 – https://noticias.r7.com/saude/numero-de-mamografias-entre-50-e-69-anos-e-o-mais-baixo-em-5-anos-02102018
INCA – http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/outubro-rosa.asp
Portal Uai – https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2018/10/09/noticias-saude,235336/outubro-rosa-o-poder-das-mulheres-contra-o-cancer-de-mama.shtml

Centro Especializado em Oncologia – http://centrodeoncologia.org.br/tudo-sobre-cancer/cancer-de-mama/