Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

Por que seus colaboradores não terão plano de saúde?

Por que seus colaboradores não terão plano de saúde?

Os benefícios que a empresa oferece aos seus funcionários, principalmente o plano de saúde, são um diferencial no mercado e atraem o interesse dos profissionais. Porém, quando falamos de custos, manter uma assistência médica custa cada vez mais caro para as companhias. Nos últimos três anos, as despesas com o plano de saúde representavam quase 12% da folha de pagamento. Hoje, já representa o segundo maior custo das empresas.

Se nada for feito rapidamente este cenário pode se complicar ainda mais, pois os custos médicos nos últimos anos cresceram consideravelmente, principalmente em função da ampliação do rol de procedimentos básicos, do envelhecimento populacional, do desperdício de materiais e da incorporação de novas tecnologias médicas.

Algumas empresas já não estão conseguindo manter os planos de saúde atuais e buscam alternativas mais econômicas, que contemplam muitas vezes o redesenho das políticas internas e regras diferenciadas para a utilização do benefício.  Só neste último ano, a inflação médica atingiu o dobro da inflação no Brasil e o índice de variação de custo médico-hospitalar (VCMH) registrou alta recorde de 19,3%. Ou seja, os contratos/apólices, a cada ano, aproximam-se do insustentável.

Em um futuro muito breve, as empresas vão precisar redefinir este contexto, seja apostando em prevenção real, estratificando riscos e ações que de fato trarão mudanças em seu universo corporativo ou, simplesmente, reduzindo a cesta de benefícios ofertada a seus colaboradores. Sobreviverão aqueles que tiverem um olhar diferenciado quanto à gestão de saúde integrada e quanto à importância do gerenciamento de risco. Não tem segredo. O que existe são escolhas a serem feitas agora que representarão a sustentabilidade e a continuidade do benefício saúde nas empresas.

Quer saber mais? Acesse www.vcmh.com.br e baixe o e-Book gratuito “Tudo sobre o VCMH”.