Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

Uma amizade que faz bem

Uma amizade que faz bem

É absolutamente natural pensarmos em animais ocupando o papel de nossos fiéis companheiros. Já estamos tão acostumados com essa relação que não pensamos sobre os benefícios proporcionados pela convivência.

Esse laço vem de longa data, contribuindo e influenciando diretamente nosso processo evolutivo. Segundo a paleontóloga Pat Shipman (que estuda os fósseis para investigar como eram os ecossistemas no passado), da Universidade de Penn State, grandes avanços com essa relação foram alcançados, como, por exemplo, no que diz respeito ao desenvolvimento da linguagem, à criação de ferramentas e ao cuidado com outras criaturas.

Essa conexão tornou-se mais forte com o passar do tempo e, nas sociedades modernas, o contato com esses bichos se dá, em sua maioria, sob a perspectiva afetiva. Em alguns países, há famílias compostas por um número maior de animais de estimação do que por filhos. Os efeitos dessa relação sólida são benéficos para pessoas de todas as idades, contribuindo para a saúde humana física e mentalmente. Pesquisas mostram que aqueles que compartilham sua rotina com animais têm autoestima mais elevada, são mais extrovertidos, tendem a ser menos solitários e são mais aptos fisicamente. Saiba porquê.

Cria rotinas no ambiente e organiza o tempo
Quem se organiza ganha mais tempo e diminui o estresse, melhorando sua qualidade de vida. A responsabilidade de cuidar de um animal faz com que rotinas sejam estabelecidas: é preciso cuidar do horário de alimentação do bichinho, controlar as visitas ao veterinário, e há, em alguns casos, a necessidade diária de caminhadas. A sensação de bem-estar será mútua.

Aumenta a interação social
Esse benefício está diretamente ligado à diminuição da sensação de solidão. Para pessoas idosas ou que moram sozinhas é ótimo. Ao interagir com os animais, liberamos em nosso organismo neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, que ajudam na regulação do humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, etc. Além disso, ainda há a possibilidade de interação com outros tutores de pets.

Incentiva a realização de exercícios físicos
Alguns animais de estimação, como os cães, têm a necessidade de caminhada ao menos uma vez ao dia, ou seja, o tutor também precisará se mexer. Entre os benefícios da prática estão a diminuição do risco de doenças, o estímulo da atividade cerebral, a melhora na qualidade do sono e no condicionamento físico.

Reduz a pressão arterial e os níveis de estresse
Nosso organismo recebe uma carga de oxitocina, o hormônio do amor, quando interagimos com nossos pets. Quando isso ocorre, os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, diminuem, proporcionando sensação de bem-estar e reduzindo também a pressão arterial. Esse benefício é muito positivo para pessoas acometidas por cardiopatias.

Aumenta a imunidade
Contar com pets, como cães e gatos, em casa ajuda no fortalecimento da imunidade de crianças, aumentando a resistência a micro-organismos, como germes e bactérias. Isso reduz a incidência de alergias e outras doenças respiratórias, como gripes e resfriados.

Ser tutor de um animal de estimação é, constantemente, vivenciar trocas e experiências (às vezes, inusitadas), assumir compromissos e ser feliz, ganhando o bônus de levar uma vida muito mais leve e saudável. Ao tomar a decisão de compartilhar o dia a dia com um bichinho, é importante ter em mente que ele é um ser vivo, não um brinquedo, e precisa ser cuidado como tal. Dê atenção e carinho e proporcione a ele as necessidades básicas, como disciplina e convivência com outros ambientes e animais – os segredos para um pet feliz.

Lições de um cachorro (autor desconhecido)
Se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas como:
• Quando encontrar pessoas queridas, sempre corra para cumprimentá-las;
• Nunca deixe passar uma oportunidade de passear;
• Permita que a experiência do ar fresco e do vento no seu rosto seja de puro êxtase!;
• Tire cochilos;
• Alongue-se antes de se levantar;
• Corra, salte e brinque diariamente;
• Melhore a sua atenção e deixe as pessoas te tocarem;
• Evite “morder” quando apenas um “rosnado” seria suficiente;
• Em um clima muito quente, beba muita água e deite-se na sombra de uma árvore frondosa;
• Quando você estiver feliz, dance movendo todo o seu corpo;
• Delicie-se com a simples alegria de uma longa caminhada;
• Seja leal;
• Nunca pretenda ser algo que não é;
• Se o que você quer está “enterrado”, cave até encontrar;
• Quando alguém tiver num mal dia, fique em silêncio, sente-se próximo e suavemente faça-o sentir que você está ali.

Fontes:
G1 | Exame | Meus Animais | Estadão | Uol | Hypescience