Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

A pressão subiu, e agora?

A pressão subiu, e agora?

Cerca de 25% dos brasileiros adultos são hipertensos. A doença é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. Mas você sabe o que ela é de verdade?

Quando o coração bate, acontecem dois tipos de pressão:

Por isso, 12×8 (número que usamos de forma abreviada) é a pressão de um indivíduo saudável em repouso.

Quando esses valores sobem muito, é preciso ficar alerta!
É normal que a pressão suba durante atividades físicas ou situações de estresse. Porém, quando os valores ultrapassam os 14×9 em repouso, a pessoa pode estar hipertensa.

Uma doença traiçoeira, a hipertensão só dá sinais em fases avançadas ou quando a pressão sobe de forma repentina. Algumas pessoas, porém, podem apresentar sintomas, que são um sinal de alerta: dores de cabeça, no peito e tonturas.

O que acontece com o coração de um hipertenso?
Há um estreitamento dos vasos sanguíneos, que diminui o espaço de circulação do sangue. O coração, então, é obrigado a fazer um esforço maior para bombear o sangue. Caso não haja tratamento adequado, as consequências podem ser derrame cerebral, infarto, insuficiência cardíaca (aumento do coração), insuficiência renal, alterações na visão e cegueira.

Quem pode desenvolver hipertensão?
Na maioria dos casos, a doença é hereditária, podendo aparecer em homens e mulheres, brancos e negros, idosos e crianças, gordos e magros, calmos e nervosos. Há outros fatores que influenciam: fumo, bebidas alcoólicas, obesidade, estresse, excesso de sal, colesterol alto e sedentarismo.

A pressão subiu, e agora?
A hipertensão não tem cura e precisa de tratamento permanente, por meio de medicação específica. Por isso, o melhor caminho é prevenir. Manter o peso adequado, não abusar do sal, praticar atividade física, não fumar, moderar o consumo de álcool e evitar alimentos gordurosos são algumas medidas que podem prevenir a doença e auxiliar no cuidado da hipertensão.

Fontes:
Ministério da Saúde | Sociedade Brasileira de Hipertensão | Portal Minha Vida | Portal Drauzio Varella