Blog

Newsletter

Receba informações no seu e-mail.

Redes Sociais

Uma combinação que pode te deixar numa fria

Uma combinação que pode te deixar numa fria

Aumento da poluição + alterações climáticas + ar seco + casacos e cobertores retirados dos armários após muito tempo guardados. Essa é a combinação perfeita para o surgimento e/ou agravamento das doenças respiratórias comuns no inverno, que representam um dos problemas que mais acometem a população mundial. Além disso, a concentração de pessoas em locais fechados, pouco ventilados, gera um aumento da propagação de vírus e bactérias.

Todo cuidado é pouco. Dessa vez, além de problemas como resfriado, gripe, asma, pneumonias, rinite, otite, sinusite e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), a atenção deve ser ainda maior por conta da Covid-19, que pode ser facilmente confundida com outras infecções respiratórias.

Os sintomas são bastante parecidos: tosse, coriza, febre, dificuldade de respirar, congestão nasal, produção de escarro, dentre outros. Isso torna ainda maior o desafio tanto dos profissionais de saúde como do próprio paciente de identificarem qual é o problema exato. Para ajudar, aqui vão algumas informações importantes:

Como diagnosticar corretamente?
Se o paciente não tem certeza se possui alguma doença respiratória, mas apresentou algum sintoma suspeito, no cenário atual, o melhor a se fazer é ficar em isolamento domiciliar, principalmente para casos leves. O indicado é observar a evolução da situação, que, se for agravada, deve ser avaliada por profissionais de saúde imediatamente para confirmação ou não de Covid-19.

Para aqueles que já foram diagnosticados anteriormente com alguma doença respiratória, muita atenção! Seus tratamentos devem ser mantidos de forma regular e ainda mais rigorosa para prevenir qualquer complicação advinda da infecção pelo novo coronavírus. Não deixe de tomar as medidas preventivas para esta nova doença, que ainda não possui vacina ou medicamentos específicos para tratamento.

A prevenção é possível?
É possível prevenir boa parte dessas doenças, incluindo a asma, a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Alguns cuidados podem ajudar: evite aglomerações de pessoas, principalmente em locais fechados; evite fumar, se expor ao frio ou à fumaças; mantenha os ambientes arejados; não passe as mãos nos olhos, boca e nariz e sempre lave-as; não compartilhe objetos pessoais; tenha uma alimentação saudável e balanceada, ingerindo alimentos ricos em vitamina C, e hidrate-se para ajudar no bom funcionamento do sistema de defesa do corpo.

Não se automedique! Os riscos dessa prática são altos. Os problemas podem ocorrer a curto ou a longo prazo devido às particularidades de cada organismo. Entre os perigos estão combinação inadequada de substâncias, que pode levar à anulação ou à potencialização dos resultados; reações alérgicas; dependência; intoxicação; e até mesmo morte.

Fontes:
Organização Mundial da Saúde | Ministério da Saúde | Fiocruz | Coronavírus – Grupo Case | Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia | Fundação ProAR | Portal Drauzio Varella